Efeito residual de diferentes fontes de silício e concentrações de MS na aclimatização de gérbera (Gerbera jamesonii) cultivadas in vitro

Diogo Pedrosa Corrêa da Silva, Patrícia Duarte de Oliveira Paiva, Renato Paiva, Gabriela Ferreira Nogueira, Raírys Cravo Nogueira, Vanessa Cristina Stein

Abstract


A gérbera é uma espécie ornamental de grande expressão na Europa, onde os maiores produtores são a Holanda, França e Itália perfazendo um total de 62% do total da produção no oeste europeu. Na França representa 20% do total de 40 espécies ornamentais propagadas in vitro e na Inglaterra 16% de um total de 10 espécies propagadas in vitro. Outros paises como Polônia, Austrália, Nova Zelândia, países da Américas do norte, do sul, e central também produzem gérbera através da cultura de tecidos (Bouzigues, 1987; Pierik, 1991)
A micropropagação vem sendo aplicada com sucesso para a propagação em larga escala de um grande número de espécies ornamentais, podendo ser realizada por organogênese (formação de órgão) ou embriogênese somática (formação de embrião).
A micropopagação pode se dividida em etapas, sendo elas: estabelecimento in vitro, multiplicação e enraizamento.
Após a etapa de enraizamento, as brotações devem ser aclimatizadas para terem condições de sobreviver em ambiente com alta luminosidade e baixa umidade. A aclimatização envolve o transplantio da plântula da condição in vitro para a casa de vegetação que, geralmente, consiste de uma fase crítica e que pode ser um fator limitante para o processo de micropropagação de algumas espécies (Torres et al., 1998).
Recentes pesquisas têm sido divulgadas com resultados positivos do uso de fontes solúveis de silício (Si) aplicadas via foliar e em soluções nutritivas para cultivo hidropônico.
Todavia a essencialidade do Si para as plantas superiores foi demonstrada apenas para algumas espécies, apesar de ser um constituinte majoritário dos vegetais (Epstein, 1994; Marschner, 1995).
Wagner (1940) observou uma relação direta entre a deposição de ácido silícico nos sítios de infecção de míldio e o grau de resistência da planta. O mesmo autor notou que houve uma silicificação das células epidérmicas, inferindo que a penetração do tubo infectivo foi impedida pelo Si, agindo, assim, como uma barreira física. Desse modo, uma menor porcentagem de esporos, germinando na epiderme foliar, obteve sucesso na penetração e posterior colonização. Esta foi a primeira menção formal especulando a respeito do modo de ação do Si sobre a redução da severidade de uma doença.
O objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito de diferentes concentrações de silício de diferentes fontes de silício e concentrações do meio de cultura MS (Murashige & Skoog, 1962) na aclimatização de gérbera cultivadas in vitro.

Keywords


Gerbera jamesonii, silício, micropropagação.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1618

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema