Interação entre substratos e fertirrigação na germinação e na produção de mudas de Tagetes patula L. (Compositae)

Taís Tostes Graziano, João B.I. Demattê, Clóvis A. Volpe, Dilermando Perecin

Abstract


Foram observados os efeitos de substratos e da fertirrigação na germinação e no desenvolvimento de mudas de Tagetes patula L., em condições de estufa, na FCAV-UNESP, Jaboticabal, SP. Foram utilizados quatro substratos: casca de arroz carbonizada (CAC), duas misturas comerciais (MCI e MC2) e uma mistura de casca de amendoim, obtida por compostagem natural, vermiculita e pó-de-xaxim (AVX), na proporção de 6:1:1. caracterizados química e fisicamente. Os tratamentos de substratos foram dispostos em bandejas de poliestireno expandido (isopor), com 128 alvéolos, subdivididas em quatro parcelas e com cinco repetições, num delineamento inteiramente casualizado, em fatorial 4x2. Diariamente, adicionava-se às bandejas seis litros de água comum e, nos tratamentos com fertirrigação, às segundas e às sextas-feiras, três litros da solução de fosfato monoamônico (1 g/L). As bandejas foram mantidas em canteiros suspensos a l,20 m do solo. Observou-se que: 1) a velocidade de emergência das sementes é maior no substrato AVX e que a fertirrigação contribui para isto; 2) quanto ao desenvolvimento das mudas, a interação significativa entre substratos e fertirrigação indica que nem todos os substratos comportam-se da mesma forma: MC2 foi superior, quase igualando-se à condição com fertirrigação, na produção de matéria seca, correspondendo a mudas mais altas, com maior número de folhas e desenvolvimento mais rápido e em maior número de botões florais, favorecendo a floração.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v1i2.95

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema