Análise da produção de matéria fresca e número de botões florais em duas variedades de roseira, em função de tipos de poda.

João Miranda dos Santos, José Geraldo Barbosa, Paulo Roberto Cecon, Claudio Horst Bruckner

Abstract


Para verificar a eficiência da altura de poda e do número de gemas na produção e na qualidade de botões de roseira das variedades Red Success e Sônia, instalaram-se dois experimentos em casa de vegetação. Utilizou-se o delineamento experimental em blocos casualizados, com três repetições, e parcelas subdivididas: nas parcelas, as alturas de poda, 30 em, 60 em e livre (escolha dos melhores ramos) e, nas subparcelas, o número de gemas (duas, quatro e seis), mais um tratamento adicional (poda comercial). A altura de poda foi tomada no ponto de inserção do enxerto até a parte desejada para cada tratamento, sendo o número de gemas contado a partir dessa medição. Para a variedade Red Success, a poda livre proporcionou maiores valores para a produção de matéria fresca das hastes e botões e maior número de flores por planta. Quanto à variedade Sônia, a produção de matéria fresca das hastes e o número de flores por planta foram maiores quando se realizou a poda livre em relação àquela com 30 em. Para as duas variedades, a poda livre pode ser indicada para produtores que desejam uniformidade de produção e maior quantidade e qualidade de hastes produzidas.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v7i2.83

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema