Efeito de agentes químicos na conservação pós-colheita de inflorescências de Alpinia purpurata (Vieill) K. Schum.

Claudia Fabrino Machado Mattiuz, Ben-hur Mattiuz, Teresinha de Jesus Deléo Rodrigues, José Fernando Durigan, Kathia Fernandes Lopes Pivetta

Abstract


Alpinia purpurata é uma flor tropical atualmente muito utilizada como flor de corte devido à beleza e durabilidade de suas inflorescências. O experimento foi realizado para verificar o efeito de diferentes compostos químicos, inibidores da ação do etileno e de bactericidas na conservação pós-colheita das inflorescências de alpínia. O experimento foi conduzido em delineamento inteiramente casualizado, em esquema fatorial, com cinco tratamentos e quatro repetições, com três inflorescências cada uma. Os tratamentos utilizaram água destilada, 500 ppb e 1000 ppb de 1-metilciclopropeno (1-MCP), 0,35 mL.L-1 de amônia quaternária, 1 mM de tiossulfato de prata (STS). Foram avaliados os aspectos qualitativos: cor, turgescência, escurecimento e curvatura das inflorescências. O tratamento com 1-MCP revelou-se o mais promissor para a preservação da qualidade das inflorescências durante os doze dias de vida de vaso. As alpínias foram muito sensíveis ao STS (1mM) e perderam a qualidade aos dois dias de vida no vaso.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v11i1.8

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema