Aspectos Fisiológicos de Orquídeas Cortadas.

Claudia Fabrino Machado Mattiuz, Teresinha de Jesus Deléo Rodrigues, Ben-Hur Mattiuz

Abstract


A família Orchidaceae possui grande diversidade de espécies e híbridos, suas flores destacam-se pelo tamanho, forma e combinação de cores, características que contribuem cada vez mais para a sua apreciação. Na Floricultura, é muito apreciada como planta envasada, e, atualmente, devido ao aumento da demanda de material cortado para exportação, o cultivo de espécies com características para o corte tem sido considerado promissor principalmente para orquídeas dos gêneros Oncidium, Cymbidium, Dendrobium, Phalaenopsis e Catleya. No entanto, o material para corte ainda permanece aquém de sua potencialidade, havendo poucas informações disponíveis para o aprimoramento das técnicas de pós-colheita. A perda da qualidade das flores cortadas está relacionada com vários processos fisiológicos, com possíveis interações entre os diversos componentes florais e também com fatores qualitativos. O presente trabalho tem como objetivo informar aspectos da fisiologia póscolheita de orquídeas para corte, relacionados com a manutenção da qualidade e longevidade floral; como a senescência, estádio de desenvolvimento, relações hídricas, respiração, substratos de reserva, bloqueio vascular e hormônios vegetais.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v12i1.79

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema