Ação de inibidores de enzimas oxidativas e crescimento bacteriano sobre a longevidade das flores de ave-do-paraíso (Strelitzia reginae Aiton)

Ana Ermelinda Marques, Fernanda Silva, José Geraldo Barbosa, Fernando Luiz Finger

Abstract


Com o objetivo de avaliar a eficiência de inibidores das enzimas polifenoloxidase e peroxidase, além da participação do crescimento bacteriano nas hastes florais de ave-do-paraíso, soluções de vaso contendo inibidores das enzimas polifenoloxidase e peroxidase foram aplicadas em sistema de pulso. Foram feitos dois experimentos: no primeiro foram aplicados 2-mercaptoetanol 10 mM, catecol 5 mM, p-nitrofenol 5 mM, metabissulfito de sódio 10 mM e água destilada, sem a correção do pH, o segundo foi feito com os mesmos tratamentos acima, porém com o pH ajustado para 6,0. A atividade das enzimas oxidativas foi determinada a cada 48 horas até a senescência dos floretes, quando foi então avaliada a contagem total de bactérias presentes na porção basal da haste. O metabissulfito de sódio 10 mM resultou na maior redução da atividade das enzimas no segundo dia após a aplicação, comparado com os demais inibidores. Em todos os tratamentos, em ambos os experimentos, a população bacteriana foi elevada contribuindo para a obstrução física das hastes.


Keywords


oclusão vascular, polifenoloxidase, peroxidase, microorganismos.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v17i1.720

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema