Micropropagação de abacaxi ornamental (Ananas comosus var. bracteatus) por meio da indução ao estiolamento e regeneração de plântulas.

Ana Cristina Portugal Pinto de Carvalho, Emília Pinto Braga, Maurício Reginaldo Alves Dos Santos, João Paulo Saraiva Morais

Abstract


O mercado de flores tropicais está em franca expansão, sendo crescente a comercialização de abacaxi ornamental como flor de corte. Segmentos nodais estiolados são utilizados para a micropropagação em várias culturas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a multiplicação in vitro de segmentos nodais estiolados para produção de mudas de abacaxi ornamental, Ananas comosus var. bracteatus. Talos, obtidos a partir de plântulas produzidas in vitro, foram inoculados em meio MS e mantidos no escuro, a 24 ± 1ºC. Os tratamentos foram: MS sem reguladores de crescimento; MS + 10mM de ANA; MS + 10mM de AIA e MS + 10mM de AIB. Ao final de 60 dias, avaliouse número de brotos/talo, número de nós/broto, comprimento do broto, comprimento médio dos internós e total de nós/talo. Não houve diferença no número de brotos estiolados por talo entre os tratamentos avaliados. O meio MS sem reguladores de crescimento apresentou o maior valor para o número de nós/broto como para o número total de nós/explante, diferindo estatisticamente dos meios contendo AIB e ANA para a primeira variável e AIA e ANA, para a segunda. Quanto ao comprimento do broto e o comprimento médio dos internós, os menores valores foram obtidos no meio contendo ANA. Para a regeneração de plântulas, foram utilizados segmentos nodais contendo dois nós, oriundos de talos estiolados in vitro por 60 dias no meio MS, sem regulador de crescimento, no escuro. Os tratamentos foram: MS sem reguladores de crescimento; MS + 4,44 mM de BAP; MS + 8,88 mM de BAP e MS + 13,32 mM de BAP. Os frascos foram incubados sob fotoperíodo de 16 horas, a 24 a ± 1ºC. Ao final de 30, 45 e 60 dias foi avaliado o número de plântulas obtidas por nó. Aos 30 dias, não houve diferença no número de plântulas/nó entre os tratamentos testados. Após 45 dias, 13,32 mM de BAP promoveu maior número de plântulas regeneradas por nó, que diferiu estatisticamente do meio sem a adição dessa citocinina. Aos 60 dias, esse mesmo meio proporcionou o maior número de plântulas por nó, diferindo estatisticamente do meio MS sem a adição de regulador de crescimento e do meio acrescido de BAP, na concentração de 4,44 mM.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v11i2.52

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema