Micropropagação de Ananas bracteatus (Shultz) cv. striatus Hort.

Talía da Costa, Gilmar Roberto Zaffari

Abstract


O Estado de Santa Catarina, apesar de conhecido pela forte economia industrial e agrícola, conta ainda com um mercado interno a ser abastecido. A horticultura ornamental possibilita a geração de empregos, de fixação do homem no campo e de fortalecimento de pequenos e médios produtores, podendo também ser utilizada em escala comercial. Com este objetivo, obteve-se um protocolo para a micropropagação de Ananas bracteatus (Shultz) cv. striatus Hort. Foram utilizadas gemas laterais do pseudocaule, como fonte de explantes. A assepsia dos explantes foi feita com etanol 70% (v/v), durante cinco segundos, seguida de imersão em NaOCl 1% (v/v), durante 15 minutos. Os explantes foram inoculados em meio MS líquido suplementado de 2,16 mM de ANA e 4,0 mM de BAP, durante 45 dias de cultivo. Meio MS líquido, suplementado com ANA (2,16 mM) e BAP (4,0 mM), resultou num melhor desenvolvimento dos explantes na fase de estabelecimento quando comparado com os meios sólidos. A presença isolada de BAP, nas fases de multiplicação (I, II e III), não foi eficiente para aumentar a taxa de multiplicação. A combinação de ANA (2,16 mM) e BAP (8,89 mM) foi necessária para se obter um maior número de brotos por explantes. A passagem dos explantes em mais de um cultivo, nas fases de multiplicação e de crescimento, teve como efeito o aparecimento de variantes somaclonais, originando plântulas verdes e albinas.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v11i2.50

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema