Longevidade pós-colheita de Zingiber spectabile Griff

GLÁUCIA MORAES DIAS, CARLOS EDUARDO FERREIRA DE CASTRO

Abstract


É crescente a exportação de flores tropicais no Brasil, por apresentarem um grande número de espécies exóticas, diversidade nas suas formas e cores, em adição à sua grande durabilidade pós-colheita. Entre essas está o gengibre ornamental (Zingiber spectabile), sobre o qual são escassas as informações de quais fatores influenciam sua longevidade. Os objetivos deste trabalho foram: caracterizar fisicamente esta espécie, verificar a possibilidade do uso de solução de condicionamento, pulverização com cera e citocinina na pós-colheita de gengibre e o uso de armazenamento a baixas temperaturas. Visando a prolongar a durabilidade comercial das inflorescências do gengibre ornamental, foram testadas soluções de condicionamento contendo 2, 4, 8, 16 e 32% de sacarose, aspersões com cera de carnaúba da marca Aruá (18% de sólidos solúveis) e com solução aquosa de 200 mg.L-1 de 6BA (6 benzilamino-purina). O armazenamento foi feito a 10, 13 e 18ºC. Os resultados obtidos quanto à caracterização física foram utilizados na padronização da espécie Analisando todos os resultados, conclui-se que o gengibre ornamental não necessita de nenhum tratamento pós-colheita, devendo simplesmente ser mantido em água limpa depois de colhido.  




DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v15i2.493

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema