A água e o junco nos jardins aquáticos antigos e contemporâneos

MAÍRA ROESSING, CLÁUDIA PETRY

Abstract


O presente trabalho é uma revisão sobre o uso da água e de plantas aquáticas nos principais jardins da humanidade, objetivando-se explorar a existência e o uso do junco, espécie de plasticidade peculiar – herbácea cosmopolita de verticalidade sublime – e com potencialidade fitorremediadora. Sua ausência é constatada nos jardins funcionais simbólicos da antiguidade, até os jardins estéticos do renascimento. Atualmente, vem sendo usado em jardins evocativos da água ou naqueles com tendências ecológicas. Assim, seu uso pode simbolizar o anseio humano de retorno às origens de viver em um ambiente saudável e sustentável.




DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v15i1.436

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema