Desenvolvimento e qualidade de plantas de Aechmea fasciata (Lindley) Baker com a utilização do cloreto de potássio ou do sulfato de potássio aplicados em três freqüência por via foliar.

Eloiza Santana Seixas Vitória, Izabel Cristina Leite

Abstract


A freqüência como a adubação foliar é realizada em bromélias é muita variada não havendo uma regularidade, ocorrendo casos em que é feita de acordo com os aspectos da planta. O potássio está entre os nutrientes que contribuem para melhoria da qualidade de plantas, incluindo ornamentais. As fontes potássicas mais comumente utilizadas na agricultura são o cloreto e o sulfato de potássio, e na forma de sulfato de potássio para algumas ornamentais, produz plantas de melhor qualidade e maiores quantidades em comparação ao cloreto. Plantas de Aechmea fasciata foram submetidas a três freqüências de adubação potássica foliar utilizando-se duas fontes, cloreto de potássio e sulfato de potássio. Avaliaram-se as seguintes características: altura e diâmetro da planta, número de folhas, diâmetro do caule, massa seca de inflorescência, de escapo, de caule, de folhas, de raízes e total; diâmetro, comprimento e número de ramos da inflorescência, e a qualidade da planta. Observou-se que, de maneira geral, a adubação potássica foliar, ndependentemente da fonte e da freqüência, não proporcionou melhoria na produção e qualidade da planta, indicando que pode ser desnecessária para produção de Aechmea fasciata, o que resultaria em redução dos custos para sua produção.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v14i1.234

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema