Espécies de helicônia como flores de corte.

Carlos Eduardo Ferreira de Castro, André May, Charleston Gonçalves

Abstract


Embora sejam inúmeras as espécies de helicônias nativas do rasil, poucas têm sido comercializadas como flor de corte, mesmo com a facilidade de aclimatação de algumas delas àscondições ambientais predominantes em muitas regiões do País. A oferta, desse modo, fica restrita às mais cultivadas, como algumas cultivares de H. bihai, H. psittacorum, H. wagneriana, H. rostrata, H. stricta e as cultivares do grupo Torch. Visando diversificar as espécies ofertadas ao mercado interno de flores de corte, foi objetivo desta pesquisa avaliar 30 genótipos de helicônias quanto à adequação para esse fim. Para tanto foram aprimorados e ampliados os indicadores utilizados para a caracterização de inflorescências adequadas ao uso como flor de corte, possibilitando a recomendação de espécies dessas plantas ainda pouco difundidas no País. A escala de pontos utilizada considerou o período de florescimento, a produção por touceira, a rigidez da haste, a durabilidade póscolheita, as facilidades de manuseio, de embalamento e transporte, bem como a resistência a esse processo e o valor de mercado. As espécies consideradas moderadamente adequadas, com pontuação entre 25 e 35, foram por ordem crescente, H. hirsuta, H. bourgaeana, H. foreroi, H. rauliniana, H. angusta var. flava, H. caribaea, H. chartaceae, H. latispatha, H. angusta ‘Holiday´, H. episcopalis, H. rostrata, H. angusta var. aurorea, H. sampaioana, H. librata e H. velloziana. As espécies enquadradas como muito adequadas, por suplantarem o limite mínimo de 35 pontos, foram, por ordem decrescente de pontuação, H. orthotricha, H. bihai e H.stricta, H.psittacorum, H. aurea e H. wagneriana. Conclui-se que a oferta de helicônias no País pode ser expandida, introduzindo-se espécies adequadas ao uso, como flores de corte, ainda pouco ou não cultivadas no Brasil. Entre essas espécies podem ser destacadas as H. orthotricha, a H. aurea, a H. velloziana, a H. librata e a H. foreroi. O uso de escala de pontos, atribuídas a características específicas de inflorescências e ciclo de produção, produtividade, longevidade pós-colheita e valor de mercado, constitui-se em excelente ferramenta para definição, do potencial das espécies estudadas, para o uso como flor de corte.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v12i2.190

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema