Acúmulo de cálcio em crisântemo (Dendrathema grandiflorum T., salmon reagan) no período do inverno.

Geila Marques Vieira, Eliana Paula Fernandes, Eli Regina Barboza de Souza, Wilson Mozena Leandro, Manoel Soares Júnior, Márcio Caliari, Juliano Queiroz Santana Rosa

Abstract


O mercado internacional de flores e plantas ornamentais está em plena fase de expansão. A produção comercial que, de início, se encontrava restrita a alguns países europeus (Holanda, Itália e Dinamarca) e ao Japão, tem-se expandindo para outras regiões do mundo. O advento da globalização e a conseqüente procura por novos nichos de mercado, aliados à necessidade de redução dos custos produtivos, incentivou o cultivo de flores (corte e vaso) e plantas ornamentais em regiões de maior aptidão edafoclimática e disponibilidade de mão-de-obra (Stingheta et al., 2002). O crisântemo produzido como flor de corte ou em vaso, é uma espécie ornamental extremamente importante e com destaque neste mercado.
O estado de Goiás tem características específicas quanto ao negócio de flores e plantas ornamentais, com extensas áreas de cerrado sob condições edafoclimáticas favoráveis e pontos estratégicos de comercialização, destaca-se tanto na produção de forrações como no cultivo de plantas tropicais (flores de corte, árvores e palmeiras) e floríferas como crisântemos. Apesar de todas estas condições favoráveis, um dos principais problemas para o desenvolvimento da floricultura brasileira, no entanto é a falta de informações técnicas sobre a condução dessas culturas em condições de clima tropical, principalmente quanto à adubação e à nutrição. Tais fatores têm grande impacto sobre a produção e qualidade do produto (Kampf et al., 1990).
A nutrição mineral se faz durante todo o ciclo da planta. Baseado nas exigências nutricionais inter ou intra-específicas, pode-se, então, estimar a dose a ser fornecida em cada estádio de desenvolvimento, para se atingir um ótimo rendimento. Desta forma, a aplicação correta de nutrientes torna-se necessária para que sejam mantidos a fertilidade do solo e o rendimento das culturas, bem como para a obtenção de um produto mais uniforme e de melhor qualidade (Goto et al., 2001). A deficiência de Ca foi descrita por Roorda Van Eysinga & Smilde (1980) em plantas de crisântemo como uma clorose aguda nas folhas e marrom nas margens. Após curto período, toda a borda da folha ficava bronzeada, ocorrendo o seu enrolamento para baixo.
Este trabalho teve como objetivo observar a marcha de acúmulo de cálcio, no período de inverno, na cultura do crisântemo (Salmon Reagan) em função do estádio fenológico da cultura.


Keywords


Dendrathema grandiflorum; ornamental; nutrição mineral.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1868

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema