Aclimatização de híbrido de orquídea (Cattleya labiata x Cattleya granulosa) em substratos de origem industrial e vegetal

Gileno Vitor Mota Lima, Gilvany Rodrigues Andrade, Cláudia Ulisses, Gemima Melo Manço, Patrícia Maria Souza Paulino, Lilia Willadino

Abstract


A família Orchidaceae é uma das maiores dentro das Angiospermas contendo cerca de 700 gêneros e 35.000 espécies (Ruschi, 1997). As orquídeas em geral, são plantas epífitas (raízes aéreas), utilizando o hospedeiro (árvores) apenas para fins de fixação. Quando cultivadas, as orquídeas epífitas desenvolvem-se melhor em substratos de textura relativamente grossa e de drenagem livre, proporcionando as raízes, livre acesso ao ar e à luz, ocorrendo da mesma forma na natureza (Bicalho, 1969). O substrato serve de suporte para a planta e é a base para um bom cultivo de orquídeas. As qualidades básicas e indispensáveis de um substrato são: consistência para suporte, boa aeração das raízes, capacidade de retenção de água, pH adequado, entre outras (Silva, 2000; Souza, 2003).
O processo de aclimatização consiste em retirar as plântulas da condição in vitro e transferi-las para a condição ex vitro (telado), controlando os fatores que possam limitar o seu desenvolvimento, tais como: temperatura, luminosidade, umidade, substrato e nutrientes (Grattapaglia & Machado, 1990). Esta transição de condições ambientais torna-se um fator limitante na cultura assimbiótica, uma vez que as orquídeas passam de uma condição heterotrófica para uma condição autotrófica. Durante a fase de aclimatização das orquídeas, torna-se necessária a utilização de substratos que permitam o estabelecimento vegetativo dessas plantas. Dentre os substratos mais utilizados pelos orquidófilos se encontra o xaxim. O xaxim é obtido a partir do desfibramento do caule do samambaiaçu (Dicksonia seilowiana), o qual leva de 15 a 18 anos para atingir o estádio ideal para a extração (Lorenzi & Souza, 2001). Tendo em vista a grande utilização do xaxim e seus derivados, as autoridades ambientais brasileiras estão adotando medidas para conter a sua extração, uma vez que esta planta está na sua lista das espécies vegetais ameaçadas de extinção. No Brasil, há vários materiais com potencial de uso como substratos, entretanto, a falta de informações e de testes que comprovem a eficácia, limitam a exploração destes (Backes & Kämpf, 2000).  Resíduos sólidos industriais são grupos de materiais de vegetais e de animais, constituídos de substâncias oriundas de produtos que sofreram um beneficiamento industrial. Atualmente os resíduos industriais sólidos, após biodegradação, são utilizados como fertilizantes, trazendo o benefício da reciclagem da matéria orgânica e de seus nutrientes (Kiehl, 1985). Visando minimizar os impactos ambientais, faz-se necessária à utilização de substratos alternativos para a aclimatização e o cultivo de orquídeas.
Este trabalho teve como objetivo avaliar a influência de diferentes substratos utilizados no desenvolvimento do híbrido de orquídea (Cattleya labiata x Cattleya granulosa) proveniente do cultivo in vitro.

Keywords


Assimbiótica; biodegradação; epífitas; resíduo sólido industrial.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1866

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema