Germinação in vitro de sementes de Aechmea sp

Olívia Silva Nepomuceno Santos, Fernanda Vidigal Duarte Souza, Everton Hilo de Souza

Abstract


A floricultura vem expandindo-se no Brasil em função do aumento da demanda de flores e plantas ornamentais, tanto no mercado interno como no internacional. Atualmente, existe uma demanda por materiais ornamentais exóticos, como é o caso das espécies tropicais, em função da beleza, exuberância e durabilidade das suas flores. Entre as plantas tropicais utilizadas como ornamentais as bromeliáceas se destacam, ganhando lugar no mercado e na preferência do consumidor.
Originária da América Central, América do Sul e Antilhas, a família Bromeliaceae compreende 56 gêneros e cerca de 3,5 mil espécies. Elas podem ser encontradas em quase todo território brasileiro e são, em sua maioria, plantas terrestres e epífitas.  Conforme a espécie pode ser encontrada ao nível do mar, em restingas, manguezais, planícies, locais áridos, desérticos ou úmidos, nas florestas e até a 4000m de altura (Soares, 2004).
O uso de bromélias como planta ornamental tem gerado, no entanto, um problema de extrativismo predatório, visto que a grande maioria das espécies não são propagadas de forma sistemática visando a produção de mudas para cultivo e comércio. Segundo Rech Filho (2004), nas bromélias, a propagação clonal por divisão natural de brotações laterais é de baixa freqüência, originando poucos filhos/planta/ano, o que agrava ainda mais a situação de muitas espécies. Desenvolver um protocolo de propagação é fundamental no auxílio à conservação dessas plantas, já que supre a demanda de mudas no mercado.
Nas últimas décadas, as técnicas de cultura de tecidos in vitro se constituíram numa ferramenta valiosa, não apenas auxiliando na compreensão dos processos da biologia do desenvolvimento, mas prestando auxílio prático no melhoramento genético de muitas espécies (Withers & Williams, 1998). Dentre essas técnicas, a micropropagação é a de maior impacto na agricultura, já que propicia a produção de um elevado número de plantas uniformes, de alta qualidade e livres de doenças. Adicionalmente, é uma técnica que presta um auxílio significativo para a preservação e propagação de espécies ameaçadas de extinção. Entretanto, o estabelecimento in vitro de uma determinada espécie, implica no ajuste de um protocolo, considerando as etapas de estabelecimento, multiplicação, enraizamento e aclimatização. No caso das bromélias, uma das grandes limitações é a ocorrência de bactérias endofíticas que surgem principalmente a partir do cultivo de gemas axilares ou gemas de estolões. Uma alternativa interessante é a micropropagação usando como explante, plântulas obtidas por meio da germinação de sementes in vitro.

Este trabalho teve como objetivo avaliar a germinação de sementes de Aechmea sp. com vistas à conservação de germoplasma e à micropropagação para produção comercial. 


Keywords


Aechmea sp., Bromeliáceas, micropropagação, conservação de germoplasma.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1833

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema