Tipos de estaca na indução de enraizamento e brotação de Dendrobium nobile com uso de AIB.

Ximena M. Souza Vilela, Moacir Pasqual, Aparecida Gomes Araújo, Fabíola Villa

Abstract


Conhecida como “Olho de Boneca”, a espécie Dendrobium nobile da família das Orchidaceaes, é uma das orquídeas mais cultivadas e colecionadas, destacando-se em nível mundial entre as espécies ornamentais pela facilidade de cultivo, custo relativamente baixo, quando comparado à outras espécies da família e sobretudo pela beleza das flores. Além do largo cultivo, esta espécie atualmente vem sendo muito utilizada para hibridização de orquídeas, existindo cerca de 77 híbridos registrados (Baker & Baker, 1996). D. nobile caracteriza-se também por ser uma planta na qual seu cultivo é bastante estudado, conhecido e simples, além disto esta espécie e seus híbridos são extremamente fortes, sobrevivendo a variações de temperatura.
A produção comercial de mudas desta orquídea geralmente é feita por clonagem ou pela separação dos pseudobulbos das touceiras originadas de uma planta matriz, com posterior brotação e enraizamento para formação de mudas, tal produção, também chamada de estaquia, diminui gastos com uso de técnicas de laboratório tornando-a mais viável para pequenos produtores.
A imersão de estacas em auxina promove aumento na relação auxina/citocinina no interior da planta, acarretando uma série de transformações fisiológicas e morfológicas ao desenvolvimento. Dentre as auxinas, as mais conhecidas e utilizadas são o ácido indolbutírico (AIB) e o ácido naftaleno acético (ANA) (Paiva & Gomes, 1995).  Com objetivo de otimizar a produção de mudas de D. nobile, estudou-se concentrações de AIB e diferentes posições da estaca na haste do caule. 


Keywords


Orchidaceae, auxina, estaquia, propagação vegetativa



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1771

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema