Utilização de adubos de liberação lenta na produção de mudas de Cosmea

Letícia Lisbôa Oliveira, Regina Maria Monteiro Castilho, Elielda Mariane Lopes Fernandes, Erica Rodrigues Moreira, Flavia Aparecida de Carvalho Mariano, Adriana Souza Colombo, Francielle Louise Bueno Melo Carvalho, Danila Comelis Bertolin

Abstract


A produção de plantas ornamentais com fins econômicos, corresponde a uma atividade empresarial que, como outra qualquer, deve produzir lucros e rendimentos suficientes para a remuneração de seus proprietários e de todos que nela trabalharem. A floricultura, além de seu indiscutível papel econômico, exerce importantes funções sociais, culturais e ambientais. Pertencentes à família Asteraceae, o Crisântemo (Chrysanthemum frutescens)  e a Cosmea (Cosmos bipinnatus Cav. ) foram as espécies avaliadas para teste de propagação. O Crisântemo de tradição de cultivo milenar nos países asiáticos. Atualmente é a principal flor de corte do mercado brasileiro devido a sua enorme variação de cores e formas, à alta durabilidade pós-colheita e à facilidade de cultivo. Cresce em dias longos e floresce em dias curtos. A Cosmea  foi introduzida a Europa no fim século XVIII e foi popular por muito tempo, mas hoje é rara. Esta espécie é anual sendo que as variedades cultivadas aparecem nas cores rosa, roxo e branco. O experimento foi realizado na Casa de Vegetação climatizada, (com Pad & Fan e temperatura ambiente de 25ºC) da Faculdade de Engenharia UNESP, Campus de Ilha Solteira, no período de 19 de março a 13 de abril de 2007. As sementes, foram semeadas em bandejas de isopor de 128 células, para as sementes de Crisântemo as bandejas foram preenchidas com substrato apenas não tendo outro tratamento e para a Cosmea, as bandejas foram preenchidas com substrato mais Basacote (3M - 16+8+12(+2+5)), também não tendo outro tratamento. A avaliação da germinação foi realizada 24 dias decorrentes da semeadura. O Crisântemo obteve 83,59% de germinação, e a Cosmea 67,96%, porém a Cosmea com Basacote obteve para as variáveis altura com raiz 14,46cm e sem raiz 10,63cm; diâmetro 1,05mm; massa seca 0,22g e massa fresca 2,83g e o Crisântemo altura com raiz 10,46cm e sem raiz 6,11cm; diâmetro 0,70mm; massa seca 0,16g e massa fresca 1,95g obtendo valores menores em comparação ao Cosmea onde foi adicionado ao substrato adubo de liberação lente (Basacote). Assim para produção de mudas a adição de adubo de liberação lente resulta em mudas mais vistosas.

Keywords


Chrysanthemum frutescens; Cosmos bipinnatus Cav.;liberação lenta



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1769

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema