Arborização urbana em regiões de diferentes padrões construtivos no município de Jataí, Estado de Goiás.

Elaine Franciely dos Santos Barros, Raquel dos Santos Carvalho Carvalho, Frederico Augusto Guimarães Guilherme

Abstract


A arborização em áreas urbanizadas, como ruas, praças e parques, proporciona uma série de vantagens, como redução dos efeitos da poluição, absorção de parte dos raios solares, proteção aos seres humanos contra o impacto direto dos ventos, redução do impacto das gotas da chuva sobre o solo, minimizando os processos erosivos, ornamentação da cidade, além de eventualmente fornecerem abrigo e alimento para a fauna local (Resende, 1997; Silva et al., 2002).
O planejamento da arborização urbana deve considerar a caracterização física do local onde será plantada determinada muda, definindo critérios que condicionam a escolha das espécies mais adequadas. Três critérios devem ser apreciados no planejamento da arborização urbana (Amir & Misgav, 1990). O primeiro leva em conta o aspecto visualespacial, definindo o tipo de árvore mais apropriada ao local em termos paisagísticos. O segundo considera as limitações físicas e biológicas que o local impõe ao crescimento das árvores. O terceiro critério, funcional, procura avaliar quais espécies seriam mais adequadas para melhorar o microclima e outras condições ambientais.
Entretanto, geralmente o planejamento urbano deixa de incluir a arborização, permitindo que iniciativas particulares, desprovidas de conhecimento técnico, executem o plantio irregular de espécies, ou seja, sem compatibilidade com o local. Esta situação é traduzida em perda da eficácia da arborização, trazendo futuros transtornos à população local e causando sérios prejuízos, como rompimento de fios de alta-tensão e telecomunicação, entupimento de calhas e danos às redes subterrâneas de água e de esgoto, obstáculos para circulação e acidentes envolvendo pedestres, veículos ou edificações (Silva et al., 2002). Em casos menos comuns, pode causar até intoxicação com partes ingeridas de plantas tóxicas. Para reduzir a ocorrência desses danos, devem ser selecionadas árvores com portes diferenciados, compatíveis com fiações e interferências subterrâneas.
Por ser uma atividade onerosa e exigente de suporte técnico especializado, a arborização urbana requer um planejamento adequado. Neste contexto, o atual estudo teve como objetivo avaliar comparativamente a qualidade e a quantidade de árvores plantadas no perímetro urbano da cidade de Jataí, localizada no sudoeste do Estado de Goiás a cerca de 350 km da capital goiana, apresentando aproximadamente 83.000 habitantes.
Para possibilitar comparações, foi utilizado um mapa georeferenciado do padrão construtivo de todas as quadras da cidade de Jataí, confeccionada pela prefeitura municipal, que seccionou as quadras da cidade em três níveis sociais distintos, segundo o padrão de construção civil adotado: 1. alto/médio; 2. simples e 3. precário. Partindo do princípio de que o alto/médio padrão construtivo é composto por população com maior poder aquisitivo, trabalhou-se com a hipótese de que há maior adequação da arborização urbana nessas quadras do que naquelas com padrão construtivo precário.


Keywords


Arborização urbana; inventário de arborização; paisagismo urbano.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1717

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema