Revitalização da Praça do Maçom, município de Jaboticabal, SP.

Camila Schiavoni Frateschi, Kathia Fernandes Lopes Pivetta, Liriane Laguardia Iha

Abstract


A praça do maçom, localizada num bairro residencial (Bairro Aparecida), foi projetada por Douglas Alencar Barbosa com a finalidade de homenagear a instituição e seus membros. Foi construída em tempo recorde de 30 dias, apresentando amplo espaço, 7.034m², inaugurada no dia 18 de maio de 1996. O projeto seguiu muitas regras e caracteres maçônicos e, em função disso, muitas vezes deixou de atender as necessidades da comunidade do bairro. Apresenta grande área gramada com grama-batatais (Paspalum notatum Flüggé) e muitas arbóreas, em fase de crescimento e já adultas; dentre aquelas em fase de crescimento, foram encontradas mudas de quaresmeira (Tibouchina granulosa Cogn.) e ipê-mirim (Tecoma stans (L.) Juss. Ex Kunth) e dentre as adultas, figueira (Ficus benjamina L.), flamboyant (Delonix regia (Bojer ex Hook.) Raf.) e jatobá (Hymenaea courbaril L. var. stilbocarpa (Hayne) Lee et Lang.), com destaque para a última, por terem sido plantadas 12 (doze) mudas em linha reta como um significado maçônico. Foram plantadas aleatoriamente e de forma excessiva, por iniciativa dos moradores da vizinhança, muitas mudas de pingo-de-ouro (Duranta repens L. ‘aurea’). Os bancos, retos e sem encosto, foram doados por famílias ou empresas e estão colocados recuados nos canteiros, de forma que não atrapalham a passagem das pessoas; por serem retos e sem encosto, desestimulam as pessoas e andarilhos a deitarem e colocarem os pés em cima, porém, a propaganda polui visualmente. A princípio, havia um sistema de irrigação escamoteável, porém, devido à falta de manutenção, não funciona mais. As luminárias altas dificultam o vandalismo, porém, muitas lâmpadas encontram-se queimadas. A utilização da praça para a prática de esportes como patins e skate, é motivo de queixa por parte dos moradores da vizinhança. A praça é muito restrita em todos os tipos de lazer, incluindo o contemplativo e não atende as necessidades do entorno. Dessa forma, o objetivo desse trabalho foi fazer o readequação da Praça do Maçom, procurando manter as características originais, porém, com incremento do lazer, visando maior utilização da vizinhança. Foi realizado o levantamento cadastral e fotográfico; entrevistas com moradores do bairro; consultoria de membros da maçonaria e análise e readequação da planta baixa, propondo o readequação que mantêm os caracteres maçônicos, porém, acrescenta linhas sinuosas em algumas partes, privilegia lazer para crianças e terceira idade, bem como o lazer contemplativo acrescentando floríferas anuais (petúnia – Petúnia x hybrida Hort. ex Vilm, tagetes – Tagetes patula L. e sálvia – Salvia splendens Sellow ex Roem & Schult.) e outras espécies que florescem abundantemente na região (alpinia – Alpinia purpurata (Vieill.) K. Schum., cambará - Lantana camara L. e vedelia – Sphagneticola trilobata (L.) Pruski) a fim de tornar a praça mais alegre e que seja mais freqüentada pelos moradores do bairro. O novo projeto teve aprovação da população local e de membros da maçonaria.


Keywords


Paisagismo; readequação; praça



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1711

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema