Desenvolvimento de bulbos de Hippeastrum X hybridum Hort cv Ferrari com o uso de diferentes doses de Stimulate Mo.

Amaralina Celoto Guerrero, Regina Maria Monteiro Castilho

Abstract


O Hippeastrum X hybridum Hort, conhecida como Amarílis ou açucena, pertence à família Amarilidaceae, é uma bulbosa, cuja espécie original H. vittatum Herb, do Peru, sofreu hibridação com outras espécies, deu origem à afamada linhagem de híbridos holandeses, com folhagem ornamental que desaparece ou não durante o inverno (LORENZI & SOUZA, 2001).
Segundo o mesmo autor citado acima, geralmente são cultivadas em vasos, mas pode ser plantado a pleno sol como bordadura ou em conjuntos. Tanto o solo dos vasos como dos canteiros devem ser férteis, de textura média, drenável e irrigados periodicamente, exceto quando se preparam para o florescimento. São multiplicados facilmente por bulbos, os quais devem ser separados da planta mãe após o desaparecimento da folhagem.
A maioria dos cultivares comercial são híbridos complexos, sendo os cultivares de Hippeastrum X hybridum Hort os mais cultivados. O principal produto são os bulbos, sendo também comercializados como planta envasadas ou como plantas dormentes (AMARILIS, 2001).
Um dos artifícios que podem ser usados na melhoria da qualidade de plantas cultivadas seria a utilização de reguladores vegetais. Esses produtos são muito utilizados em diversas culturas, sendo que para plantas ornamentais, as pesquisas são escassas.
A mistura de dois ou mais reguladores vegetais com outras substancias (aminoácidos, nutriente, vitaminas, etc.) é designada bioestimulante. Este produto químico pode, em função da sua composição, concentração e proporção das substâncias, incrementarem o crescimento desenvolvimento vegetal, estimulando a divisão celular, diferenciação e alongamento das células, favorecer os equilíbrios hormonais da planta, podendo também aumentar absorção, a utilização da água e dos nutrientes pelas plantas (CAMARGO E CASTRO & VIEIRA, 2003).

Sabe-se que aplicação de bioestimulante tem proporcionado bons resultados na agricultura. Um bioestimulante que vem sendo utilizado para essa finalidade e o Stimulate Mo. Alguns pesquisadores testaram a sua eficiência e obtiveram os resultados descritos a seguir.
Segundo Dario & Baltieri (1998), estudando diferentes doses de Stimulate Mo em sementes de milho, não observaram diferenças significativas entre tratamentos com Stimulate em sementes de milho e o controle, para os parâmetros: emergência de plântulas, altura de plantas, número de espigas/metro e produção.
Reghin et al (2000), em estudo realizado com mandioquinha salsa, mostrou que as doses de Stimulate não promoveram diferença significativa nas características de desenvolvimento da parte aérea. Por outro lado, a aplicação de Stimulate aumentou o numero e o comprimento das raízes, tendo sido estimado como ponto de máxima a dose de 7,0 ml/ L. Não foram observados sintomas de fitoxidez em quaisquer das doses estudadas. Estes resultados confirmam a atuação do produto como estimulador do sistema radicular, podendo resultar na maior capacidade de absorção de água e nutrientes.
Assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar o desenvolvimento de bulbos 1293 de Hippeastrum X hybridum Hort cv Ferrari com o uso de diferentes doses de Stimulate Mo.


Keywords


Hippeastrum X hybridum Hort; Stimulate Mo; biorreguladores.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1700

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema