Características básicas de calos embriogenéticos formados em tecidos somáticos de Angiospermas

Regina Ramos Termignoni

Abstract


A utilização de tecidos somáticos de dicotiledôneas e monocotiledôneas em diferentes tratamentos de cultura in vitro tem permitido a observação de um comportamento diferenciado das células no que se refere ao seu potencial de regeneração e as sucessivas etapas na indução e expressão das características morfo-fisiológicas das estruturas geradas ao longo dos processos regenerativos.
Com base em observações feitas no comportamento in vitro de várias espécies estudadas, calos com potencial embriogenético induzido, independentemente da espécie que serviu como fonte de explantes, sempre vão apresentar um escurecimento dos tecidos acompanhado da presença muito precoce de um gel, uma substância mucilaginosa, que encobre a superfície do calo. Mergulhados neste gel, estão estruturas nodulares, que podem apresentar uma cor parda a marrom, muitas vezes, tornando-se pretas. Os calos tem uma aparência brilhante devido ao gel, esta mucilagem que se forma em torno dos mesmos. Um outro indício de potencial embriogenético induzido e já em expressão nos tecido em culura, é o aparecimento de células com tonalidade rosada ou quase roxa, provávelmente devido à presença de antocianinas. Após a formação destas áreas rosadas, inicia-se o aparecimento de áreas com uma cor verde que vai intensificando-se até o aparecimento de ápices vegetativos que se alongam em ramos, enraizando-se muitas vezes. A diferença mais crítica entre calos com potencial embriogenético e organogenético já estabelecido na cultura, observada nos tecidos das diferentes espécies estudadas (Eucalyptus spp. entre estas, E. dunnii, E. viminalis, E. saligna e híbridos de eucalipto,Vetiveria zizanioides, Pennisetum purpureum, Baccharis trimera, Plecthranthus lentiscifolius, Medicago sativa, Trifolium repens) é justamente a presença do gel e da cor avermelhada seguida do surgimento de áreas verde, que precede a neoformação dos embriões. Os calos organogegéticos são muito similares muitas vezes aos embriogenéticos, porém não apresentam a formação do gel precedendo a coloração avermelhada e a posterior intensa coloração verde que se forma nas áreas onde surgirão os embriões.


Keywords


Calos embriogênicos; dicotiledôneas; nódulos; mucilgem; antocianinas.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1695

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema