Organogênese in vitro de batata (Solanum tuberosum L.) cultivar Atlantic visando à transformação genética.

Rodrigo Kelson Silva Rezende, Moacir Pasqual, Luciano Paiva, Gabriela Ferreira Nogueira, Renato Paiva

Abstract


A batata (Solanum tuberosum L.) é uma das mais importantes oleráceas cultivadas no Brasil, com área plantada em torno de 182.000 hectares e produção ao redor de 2,7 milhões de toneladas (Choer, 2003). A batata apresenta características importantes para a transformação genética, tais como susceptibilidade à infecção por Agrobacterium tumefaciens – sistema de transferência de genes mais utilizado para espécies dicotiledôneas – e a relativa facilidade com que plantas transgênicas têm sido regeneradas a partir de diferentes explantes, através de diferentes sistemas de cultura de tecidos. Além disso, o modo de propagação desta espécie, vegetativamente, permite que a expressão clonal de um indivíduo transformante de batata ocorra sem variação epistática da expressão do transgene, a qual muitas vezes ocorre durante a propagação sexual (Vayda & Belknap, 1992).
A técnica de cultivar tecidos de plantas in vitro tem servido como ferramenta em diversas áreas da agricultura. Particularmente para a cultura da batata, esta técnica pode ser muito útil quando pretende-se trabalhar com transformação genética desta espécie.
Objetivou-se estabelecer um protocolo para regeneração de brotações de batata, cultivar Atlantic, combinando-se diferentes tipos e doses de reguladores de crescimento, visando posteriores estudos envolvendo transformação genética.


Keywords


Solanum tuberosum L; batata; organogênese; cultivo in vitro; transformação genética.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1681

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema