Obtenção de matrizes assépticas de Pau-Rosa (Aniba rosaeodora Ducke) através da germinação in vitro de sementes

Soami Fernanda Caio Deccetti, Monique Inês Segeren, Analú Vicentin

Abstract


Considerando a influência das plantas matrizes utilizadas sobre o sucesso na definição de um sistema de micropropagação, este trabalho teve como objetivo desenvolver metodologias para a germinação in vitro de sementes de Pau-rosa visando à produção de plântulas assépticas que fornecerão explantes com características mais adequadas para as fases posteriores do cultivo in vitro. Foram utilizadas sementes próximas ao estágio de maturação e testados diferentes tratamentos quanto à formulação do meio de cultura e à concentração de sacarose no meio visando maximizar o processo de germinação. Os resultados demonstraram que o aumento na concentração de sacarose do meio de cultura reduz a germinação das sementes. A utilização de sacarose sob concentração reduzida (10 g.l-1) possibilitou a germinação de uma porcentagem maior de sementes (80%) e favoreceu o crescimento in vitro das plântulas de Pau-rosa. De maneira geral, a formulação do meio MS também demonstrou ser mais satisfatória para a germinação e o crescimento das plântulas de Pau-rosa, quando comparado ao meio WPM. As metodologias de germinação in vitro testadas neste estudo possibilitaram a obtenção de matrizes assépticas em 75 dias.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1675

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema