Efeitos de tamanho de vaso e sistemas de condução no desenvolvimento e qualidade de cultivares de zinia.

Ana Christina Rossini Pinto, Teresinha De Jesus Deléo Rodrigues, Izabel Cristina Leite, José Carlos Barbosa

Abstract


A zínia tem potencial para ser usada como planta envasada no Brasil, pois apresenta capítulos atrativos, resistência à seca, fácil propagação, rápido crescimento, mínima exigência de tratos culturais e rusticidade. Avaliou-se o efeito do tamanho de vaso (0,6 L e 1,3 L) e do sistema de condução (livre brotação de gemas e desponte da gema floral apical) no desenvolvimento e qualidade de cultivares de zínia (‘Profusion Cherry’,Thumbelina’, ‘Lilliput’ e ‘Persian Carpet’). As plantas foram cultivadas no outono, em casa de vegetação, em Jaboticabal (SP). O delineamento experimental foi em blocos casualizados com quatro repetições (seis vasos por parcela), e analisado em esquema fatorial 4 x 2 x 2 (quatro cultivares, dois tamanhos de vaso e dois sistemas de condução). A semeadura foi realizada em bandejas de poliestireno e, as mudas, transplantadas no estádio de 2.º par de folhas nodais verdadeiras para vasos preenchidos com substrato comercial e fertilizado com Osmocote®. Quando a gema floral apical apresentava 3-5 mm, foi retirada manualmente. ‘Profusion Cherry’ apresentou o melhor desempenho, com plantas compactas e baixas (18,0 cm), com maior diâmetro de capítulos (4,74 cm), maior porcentagem de cobertura do vaso pela parte aérea (87,3%), maior índice de colheita de folhagem e capítulos (0,65) e, menor ciclo de produção (52 dias). ‘Thumbelina’ mostrou potencial para uso em vaso, mas apresentou-se inferior a ‘Profusion Cherry’ em relação à altura das plantas (23,0 cm), cobertura do vaso (80,8%) e duração do ciclo de produção (59 dias). ‘Lilliput’ e ‘Persian Carpet’ não revelaram specto compacto e porte baixo, com altura de plantas de 57,0 e 50,0 cm respectivamente. Para todos os cultivares, o vaso de 0,6 L foi mais adequado, considerando-se o desenvolvimento e a qualidade das plantas. O desponte da gema floral apical atrasou o ciclo de produção e não contribuiu para incrementar a qualidade das plantas.



DOI: https://doi.org/10.14295/rbho.v9i1.167

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema