Calogênese e brotações in vitro de sisal (Agave sisalana Per.) induzidas por diferentes concentrações de citocininas e auxina.

Sandra Regina de Oliveira Domingos Queiroz, Ana Paula de Souza Rios, Fernando dos Santos Carneiro, Camila dos Santos Lyra, José Raniere Ferreira de Santana

Abstract


O sisal (A. Sisalana Perrine) é uma espécie provavelmente nativa da península de Yucatan, no México, onde é designada pelo nome de Maia de “Yaxci”, porém tanto a fibra como a planta é conhecida mundialmente pelo nome de sisal (Medina, 1954).
Além de planta ornamental, é a principal fonte de extração de fibras duras vegetais. O Brasil é o principal produtor mundial e exportador da fibra dura do sisal. Em 2004, já representava 62,5 % da produção mundial, com 191,7 mil toneladas (A Tarde, 2005). A cultura do sisal na Bahia está sofrendo grandes perdas devido às doenças causadas por fungos. A principal delas é a podridão vermelha do tronco, ou simplesmente podridão do tronco do sisal. A incidência desta doença varia bastante entre as regiões de cultivo; em algumas, não ultrapassa 5% da área e, em outras, pode alcançar 40% de infestação (Alves et al., 2004). As plantas de sisal resistem a doença por um determinado tempo, embora seja fatal para a cultua (EMBRAPA, 2005).
A propagação vegetativa do sisal se dá por bulbilhos e por rebentões (Silva et al., 1999). Essa propagação no campo é muito lenta, sendo insuficiente para uma produção massiva de plantas com tanto valor comercial, como é o caso desta espécie. Além disso, várias doenças, principalmente as sistêmicas, podem ser transmitidas para as sucessivas gerações por meio desse tipo de propagação.
Devido a grande importância econômica desta espécie e da grande demanda de mudas, há necessidade de se acelerar o processo de propagação. Assim, a propagação in vitro utilizando bulbilhos como material vegetal pode ser uma técnica viável para o sisal. Estudos realizados na Índia demonstraram que plantas de A. sisalana podem ser propagadas in vitro com sucesso via organogênese direta e indireta (Nikan, 1997; Hazra et al., 2002a, Hazra et al., 2002b).
O Objetivo desse estudo foi obter resultados preliminares quanto a indução in vitro de calos e brotos em explantes de sisal cultivados em meio suplementado com diferentes concentrações de BAP, KIN e ANA.


Keywords


Agave sisalana Per., calos, brotos



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1668

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema