Efeitos das auxinas na germinação in vitro de sementes de porongo (Lagenaria siceraria (Mol.) Stand.) – Cucurbitaceae.

André Luís Lopes Da Silva, Marguerite Quoirin, Micheli Angélica Horbach, Yohana de Oliveira Ugarelli Lima, Dilson Antônio Bisognin

Abstract


O porongo (Lagenaria siceraria (Mol.) Standl.) pertence à família Cucurbitaceae. Nos estados do sul do Brasil seu fruto é utilizado para servir o chimarrão (bebida típica dessa região). Pesquisas em cultura de tecidos vegetais exigem o uso de um grande número de explantes, o que geralmente é suprido através da germinação in vitro de sementes. Por esta razão é desejada uma alta taxa de germinação. As sementes de cucurbitáceas podem apresentar dormência ou germinação muito lenta (Casali et al., 1982). O processo de fermentação em água à temperatura de 25oC durante 72 horas promove a quebra da dormência e aumenta a qualidade fisiológica das sementes (Bisognin et al., 1997). No entanto, mesmo após esse processo, sementes inteiras de porongo não germinam em meio de cultura sob condições in vitro, sendo necessária à remoção do tegumento (Da Silva et al., 2004).   
As auxinas promovem a biossíntese de giberelinas e, vice-versa, as giberelinas estão relacionadas com a germinação das sementes em algumas possíveis etapas: na ativação do crescimento vegetativo do embrião, no enfraquecimento da camada do endosperma que envolve o embrião e que restringe o seu crescimento, além de também permitir a mobilização das reservas energéticas do endosperma (Taiz & Zeiger, 2004). Há muito tempo também se conhece o efeito da auxina na biossíntese do etileno, o qual possui o efeito de quebrar a dormência de sementes e iniciar a germinação em algumas espécies. Consequentemente têm se verificado que o etileno também promove um aumento na taxa de germinação de sementes de diversas espécies (Taiz & Zeiger, 2004). 
O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência do ácido naftalenoacético (ANA) e do ácido 2,4-diclorofenoxiacético (2,4-D) na germinação in vitro de sementes inteiras e nuas de porongo.

Keywords


Calogênese; hipocótilo; tegumento; amêndoa.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1660

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema