Efeito da individualização de nós de segmentos caulinares estiolados de Ananas comosus na proliferação de brotos in vitro.

Nadjma Souza Leite, Sarah Brandão Santa Cruz Barboza, Roberto Rodrigues Souza, Luiz Augusto Souza Copati, Micaele da Costa Santos, Ana da Silva Lédo

Abstract


A produção de mudas de novas cultivares disponibilizadas por programas de melhoramento  é um dos fatores limitantes à implantação de pomares comerciais devido ao tempo que estas levam para serem formadas. Esta pesquisa teve como objetivo estudar os procedimentos mais adequados para aumentar a eficiência da propagação por estiolamento e proliferação de brotos in vitro do abacaxi Imperial utilizando brotos estiolados e subdivididos em secções com apenas um nó. Foram utilizadas brotações estioladas in vitro que, em condições assépticas, após serem retiradas as raízes e o meristema apical foram subdivididas em secções de 1 -1,5 cm com apenas um nó e colocadas em placas de Petri contendo 25 ml de meio de cultura básico MS (Murashige & Skoog, 1962) gelificado com 6 mg.L-1 de agar, pH a 5,8 e autoclavado por 15 minutos a 120°C. As culturas foram mantidas em sala de crescimento com intensidade luminosa de 35 µmol.m-2.s-1, fotoperíodo de 16 horas e temperatura de 25 ± 2°C. O delineamento experimental foi inteiramente, em esquema fatorial 4 x 4 com cinco repetições, sendo cada repetição constituída de 3 secções e um nó/secção. Foram avaliadas quatro concentrações (0,0; 0,5; 1,0 e 2,0 mg.L-1) de ácido naftaleno acético (ANA) e benzilaminopurina  (BAP) combinadas entre si. Aos 60 dias após inoculação foi avaliado o número de nós que apresentavam proliferação gemas e brotos. Após a última avaliação procedeu-se à avaliação do número de brotos desenvolvidos por nó  individualizado. Quando se utilizou ANA 0,0 + BAP  0,5 mg.L-1 e ANA 0,0 + BAP 2,0 mg.L-1 o número médio de brotos obtidos em cada nó foi significativamente superior aos demais tratamentos (3,2; 2;7, respectivamente).  Nestes tratamentos não se observou variação significativa no número médio de folhas por broto (4,2). Os tratamentos ANA 0,0 + BAP 1,0 mg.L-1; ANA 0,5 + BAP 0,5 mg.L-1 e ANA 0,5 + BAP 1,0 mg.L-1; não diferiram entre si, alcançando, respectivamente, 1,4; 1,6; 1,3 e 1,2 brotos por nó. Os resultados obtidos neste trabalho mostram que a individualização dos nós não influencia a indução e proliferação de brotos quando comparados a resultados obtidos por outros autores usando a técnica de multiplicação por segmentos nodais estiolados.

Keywords


abacaxizeiro; multiplicação rápida; estiolamento in vitro



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1644

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema