Produção de biomassa em cultura de células vegetais de Ageratum conyzoides L. Sieber.

Cristine Luciana de Souza Rescarolli, Julio Cezar de Souza, Gilmar Roberto Zaffari

Abstract


Os produtos naturais e seus derivados representam 50 % do total das drogas de uso clínico, sendo que 25 % do total são originárias de plantas superiores. A produção in vitro destes valiosos produtos secundários tem sido muito promissora, como alternativa para os compostos sintéticos. Com o avanço crescente da biotecnologia, esses estudos ganharam um grande impulso com o uso da micropropagação e a produção de biomassa in vitro para extração de metabólitos secundários, com um mínimo de impacto à natureza. A espécie Ageratum conyzoides, popularmente conhecida como mentrasto, apresenta uso medicinal difundido pela população brasileira e de outros países. Tem tido seu consumo aumentado a partir de sua inclusão na lista da Central de Medicamentos e subseqüente verificação de sua eficácia como analgésico e antiinflamatório. O objetivo do presente estudo foi estabelecer uma metodologia para propagação vegetativa in vitro, e a produção de biomassa celular indiferenciada visando atender a demanda de consumo destes metabólitos. Para a realização dos ensaios foram utilizados explantes do tipo semente, folha e segmento nodal, submetidos a diferentes agentes desinfestantes com o objetivo de estabelecer culturas assépticas. Para a propagação vegetativa foram testados diferentes meios de cultivo com adição ou não de reguladores de crescimento para a multiplicação e enraizamento. A indução e proliferação de massa celular indiferenciada foi realizada a partir de explantes foliar e caulinar, em meio MS sólido acrescidos de 2,4-D, BAP e KIN. O estabelecimento das culturas assépticas foi obtida a partir da germinação de sementes in vitro. O melhor índice de regeneração e enraizamento de plântulas foi obtido em meio MS sólido sem adição de fitohormônios. A indução de massa celular indiferenciada ocorreu indiferentemente ao acréscimo ou não de reguladores de crescimento no meio de cultivo, enquanto a proliferação ocorreu em maior intensidade quando o meio MS foi acrescido de fitohormônios 2,4-D e KIN por um período de cultivo de 30 dias. A espécie Ageratum conyzoides, apresenta capacidade morfogenética in vitro tanto para produção de biomassa celular indiferenciada quando para a propagação vegetativa.

Keywords


Micropropagação, Ageratum conyzoides, plantas medicinais.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1638

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema