Um novo sistema para micropropagação de Baccahris trimera tolerante ao cobre: conversão do ápice radicular em ápice vegetativo

R. R. Termignoni, R. L.M. Weber, Maria Luiza Porto

Abstract


Baccharis trimera é uma espécie da família Asteraceae  com alta tolerância ao cobre tendo desenvolvido um ecótipo altamente adaptado às condições ambientais da Mina Volta Grande, em Lavras do Sul (RS) (Dal Piva, 2001). A multiplicação de indivíduos com estas características torna-se interessante, uma vez que um aumento do número de plantas deste ecótipo, altamente resistente a metais presentes nos dejetos da Mina, pode resultar no desenvolvimento de tecnologias visando a fitorremediação de áreas degradadas pela presença de metais pesados. A germinação in vitro de sementes coletadas de indivíduos desenvolvidos na área da Mina Volta Grande, em meio MS-62 suplementado com AIA (0,02 mg. l-1) e BAP (0,5 mg.l-1) mostrou, 20 dias após o início da germinação, embriões com uma parada no desenvolvimento da extremidade radicular, um intumescimento do extremo ápice e a posterior formação de um calo com a regeneração de gemas vegetativas, bem abaixo da coifa. À medida que ocorre o desenvolvimento das gemas a partir deste calo, ocorre uma perda do gravitropismo pela plântula em desenvolvimento, estabelecendo-se ainda, na extremidade oposta ao ápice radicular, agora alterado, uma multiplicação intensa das gemas axilares, que fazem parte da parte aérea da plântula ao longo de seu eixo. No final de 30 dias após a germinação, formam-se plântulas com duas extremidades vegetativas, sendo a extremidade radicular transformada em vegetativa, decorrente da neo-organogênese estabelecida no ápice radicular, e a outra, a extremidade aérea, vegetativa, original na planta, apresentando gemas axilares com uma intensa multiplicação. As gemas neoformadas apresentam uma alta taxa de multiplicação e quando subcultivadas em meio MS-62 sem reguladores de crescimento, enraízam facilmente.  Este sistema apresentado aqui é uma boa alternativa para a micropropagação de genótipos de Baccharis trimera que se destacam pela elevada tolerância ao cobre, uma vez que cada semente germinada pode ser multiplicada in vitro por, no mínimo, 100 a 150 vezes, por cultura primária, resultando em 100 a 150 indivíduos com possível expressão fenotípica muito semelhante, ao que se refere à tolerância ao cobre.

Keywords


Baccharis trimera, regeneração in vitro, conversão do ápice radicular



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1627

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema