Efeito de diferentes auxinas e de giberelina na indução de brotos estiolados in vitro de abacaxi Imperial para propagação clonal por segmentos nodais.

Micaele da Costa Santos, Sarah Brandão Santa Cruz Barboza, Luiz Augusto Souza Copati, Ana da Silva Lédo, Sammara Cristhiane Almeida Siqueira

Abstract


As variedades de abacaxizeiro utilizadas em plantios comerciais no Brasil são susceptíveis a fusariose. O abacaxi Imperial é uma cultivar que foi desenvolvida pela Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, resistente a fusariose, e sendo esta doença responsável por elevadas perdas na produção, a utilização de genótipos resistentes é de grande importância para o sucesso da cultura. A micropropagação de novos materiais utilizando segmentos nodais é citada como uma das técnicas da cultura de tecidos de plantas que reduzem o aparecimento de variantes durante a multiplicação in vitro. Este trabalho teve o objetivo de contribuir para a otimização de um protocolo de micropropagação por meio de secções nodais estioladas. Caules de brotos de abacaxi Imperial com 5 a 7 cm de comprimento de parte aérea, desenvolvidas in vitro a partir de gemas axilares foram utilizados como explantes. O meio de cultura básico foi o MS, gelificado com agar a 7 g.L-1, pH ajustado para 5,8 e autoclavado por 15 minutos a 120°C. O delineamento foi inteiramente ao acaso com seis tratamentos (sem fitorregulador; ácido naftaleno acético (ANA) 1,86 mg.L-1; ácido indolacético (AIA) 1,75  mg.L-1; ácido indolbutírico (AIB) 2,03 mg.L-1; ácido giberélico (GA3) 1,73 mg.L-1; GA3 0,86 mg.L-1) e três repetições com cinco explantes por repetição. A manipulação dos explantes ocorreu em condições assépticas e a inoculação feita em tubos de ensaio envoltos em papel alumínio e mantidos em sala de crescimento com temperatura de 25 ± 2°C. Foram avaliados: número de brotos estiolados por explante, comprimento de brotos e número de nós por broto. Aos 30 dias de cultivo o número de brotos estiolados por explante variou de 1,21 a 2,0 e o comprimento de brotos de 2,02 a 2,82, não mostrando diferença significativa entre os tratamentos para cada variável avaliada. No mesmo período, em meio de cultura sem fitorregulador e em presença de ANA 1,86 mg.L-1 e GA3 1,73 mg.L-1 obteve-se maior número de nós por broto. Aos 60 dias de cultivo o comprimento médio de brotos (5,13 cm) e o número médio de nós por brotos (4,0) foram superiores em todos os tratamentos quando comparado àqueles obtidos aos 30 dias. Em meio de cultura MS acrescido de GA3 0,86 mg.L-1, aos 60 dias de cultivo, obtém-se melhores resultados para o estiolamento in vitro de abacaxi Imperial.

Keywords


Ananas comosus; cultivo in vitro; regulador de crescimento; secções nodais



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1612

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema