Efeito do benomyl e do biocloreto de mercúrio na desinfestação de explantes de palma forrageira (Opuntia ficus)

Jessé Marques Silva Junior, Renato Paiva, Luciano Coutinho Silva, Tathiana Elisa Masetto, Cristiano Martinotto

Abstract


A palma forrageira (Opuntia ficus) é o alimento mais utilizado pelos produtores na maior Bacia Leiteira do Nordeste em Batalha-Alagoas, principalmente na época do verão. É o único volumoso que mantém seu valor nutritivo mesmo sem parar de crescer (Melo, 2005). Somente em Alagoas, existem mais de 90 mil hectares de palma forrageira miúda. Estima-se existir, no Nordeste brasileiro, cerca de 400 mil hectares cultivados, constituindo-se numa das principais forrageiras na época seca (Santos et al., 1997). 
Atualmente, este vegetal se presta às mais diversas utilidades, por ser amplamente difundido, de fácil plantio e altamente resistente à seca. A palma forrageira é uma das principais culturas ornamentais da região Nordeste do Brasil e é principalmente utilizada na indústria alimentícia, na indústria farmacêutica e de cosméticos, além de ser empregada no setor agronômico entre outros (Sebrae, 2001).
A cultura de tecidos é um meio de desenvolver células ou tecidos vegetais sob condições controladas. Pode ser definida como a cultura de células vegetais isoladas, de um grupo de células, tecidos ou órgãos em ambiente artificial, sob condições assépticas. Nesse ambiente, as células, tecidos e órgãos se multiplicam e continuam a crescer de modo não organizado ou se regeneram numa planta inteira (Da Silva, 2007).
A contaminação dos explantes é um dos principais problemas do cultivo in vitro de espécies lenhosas (Pierik, 1990). Os níveis de contaminação tendem a ser maiores quando as plantas matrizes usadas como fonte de explantes são provenientes do campo. No entanto, mesmo as plantas submetidas ao rigoroso controle fitossanitário e mantidas em viveiro protegido ou casa de vegetação são fontes potenciais de microorganismos, que podem tornar-se limitantes aos procedimentos de cultivo in vitro (Medeiros, 1999)
Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de diferentes tempos de imersão em solução de hipoclorito de sódio e de bicloreto de mercúrio na desinfestação e sobrevivência de explantes de palma forrageira.

Keywords


Opuntia ficus, assepsia, estabelecimento in vitro, contaminação.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1594

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema