Influência das vitaminas na propagação in vitro de Cattleya (Orchidaceae)

José Geraldo Zaparolli Vieira, Jorge Kaoro Yamakami, Ricardo Tadeu Faria, Ricardo Sfeir Aguiar, Adriane Marinho Assis, Lilian Keiko Unemoto, Sara Regina Silvestrin Rovaris

Abstract


A cultura de tecidos é freqüentemente utilizada para a propagação clonal em massa de híbridos e espécies de orquídeas, possibilitando a obtenção de plantas de alta qualidade fitossanitária em curto período de tempo (Arditti & Ernst, 1993).
A cultura assimbiótica ou semeadura in vitro, de orquídeas, constitui uma técnica bastante relevante do ponto de vista comercial e também ecológico. As plantas produzidas desta forma são altamente interessantes para programas de reintrodução de espécies nativas em áreas de preservação ambiental. A cultura assimbiótica resulta em maiores percentuais de germinação, em comparação com a germinação em condições naturais, a qual é dependente da infecção por fungos micorrízicos simbiontes, muitas vezes espécie-específicos (Willadino et al., 2001).
Os meios para cultura de tecidos podem variar muito, de acordo com a espécie a ser cultivada, fornecendo substâncias essenciais para o crescimento dos tecidos e controlando em grande parte, o padrão de desenvolvimento in vitro (George, 1996).
O meio nutritivo MS, formulado por Murashige & Skoog (1962), é usado na cultura de tecidos para grande maioria das espécies e desde os primeiros estudos com cultura de raízes do tomateiro foi definida a mistura básica de vitaminas que é utilizada até hoje. Esta mistura consiste de tiamina (vitamina B1), ácido nicotínico (niacina), e piridoxina (vitamina B6), à qual normalmente se adiciona o aminoácido glicina. Estes compostos participam ativamente na biossíntese principalmente de aminoácidos e alcalóides (Caldas et al., 1998).
As vitaminas são compostos orgânicos que, em baixas concentrações, desempenham funções reguladoras catalíticas no metabolismo celular. A vitamina mais comumente usada em cultura de tecidos é a tiamina (B1). A tiamina é solúvel em água e atua no metabolismo celular devido à função como coenzima na descarboxilação dos cetoácidos, como por exemplo o piruvato e cetoglutamato. O ácido nicotínico (niacina ou vitamina B3), é um componente das coenzimas NAD e NADP importantes na transferência de hidrogênio. A piridoxina, piridoxal e piridoxamina (complexo vitamínico B6), fazem parte de coenzimas metabólicas de aminoácidos que têm papel importante nas reações de transaminação e descarboxilação (George, 1996).
Os resultados das análises do crescimento in vitro em meio de cultura suplementado com diferentes vitaminas é muito particular para cada espécie vegetal, sendo que as suas concentrações podem influenciar no desenvolvimento das mesmas (Caldas et al., 1998).
O presente trabalho teve como objetivo avaliar a influência da adição de diferentes concentrações das vitaminas no desenvolvimento vegetativo e enraizamento in vitro de Cattleya.


Keywords


Tiamina, Ácido Nicotínico, Piridoxina, Orquídea.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1577

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema