Efeito de substratos na formação de mudas de curauá (Ananas comosus var. erectifolius L. B. Smith)

Osmar Alves Lameira, Lucila Elizabeth Fragoso Monfort, Andréia Luciana Martins Saldanha

Abstract


O curauá (Ananas comusus var. erectifolius (L. B. Smith) Coppens & Leal, pertencente à família das Bromeliáceas, distribuída na região amazônica. Estudos recentes têm demonstrado o grande potencial desta planta como produtora de fibra de excelente qualidade, sendo utilizada na indústria automobilística e têxtil devido sua resistência, maciez e peso reduzido, podendo ainda ser utilizada como celulose e ração animal. Há uma crescente demanda de fibras do curauá por grupos empresariais preocupados principalmente na utilização de produtos naturais biodegradáveis, o que torna essa espécie estratégica para o estado e cria uma perspectiva de melhoria da qualidade de vida dos pequenos produtores Atualmente a demanda por fibras de curauá a partir da indústria automobilística e têxtil gira em torno de 500 ton/mês. No momento o estado consegue produzir até 8 ton/mês, o que torna a cultura do curauá como uma das mais promissoras em termos de alternativas em curto prazo (Lameira, et al, 2003).
Após obtenção da planta completa (parte aérea + raiz) ocorre o transplantio (embora para algumas espécies seja mais viável a emissão de raízes "ex vitro") que envolve a transferência da planta da condição "in vitro" para casa de vegetação, onde é submetida a uma fase de aclimatização e endurecimento adaptando-se às condições ambientais de cultivo, com o uso de substratos mineral-orgânicos apropriados (Usberti Filho et al., 1995; Albin, 2004).
Quatro funções básicas são atribuídas aos substratos: propiciar suporte ou ancoragem para a planta; proporcionar suficiente porosidade de modo a permitir o ingresso de oxigênio e o escape de gás carbônico e etileno produzido durante a respiração das raízes; propiciar alguma reserva de água para as plantas e suprir a planta com nutrientes (Taveira, 1996).
A alta taxa de sobrevivência obtida em plantas aclimatizadas “ex vitro”, depende do correto tratamento providenciado durante o processo de transição “in vitro” para “in vivo” (Calvete et al, 2002).
Os substratos são utilizados isoladamente ou em diversas combinações, como demonstram as pesquisas desenvolvidas por Guerra et al (1999) para aclimatização de plantas de abacaxizeiro obtidas "in vitro". Processo completo de micropropagação de curauá envolvendo desde a fase inicial até a aclimatização de plantas e cultivo no campo em escala comercial foi obtido por Lameira et al (2003). O trabalho teve como objetivo avaliar o efeito de diferentes substratos na formação de mudas de curauá provenientes da cultura in vitro.

Keywords


Ananas comosus var. erectifolius; fibra de coco; Polifértil®, aclimatação.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1570

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema