Aspectos nutricionais do meio e influência da divisão longitudinal da brotação sobre o enraizamento in vitro de cultivares de bananeira.

Elizângela Barbosa de Lima Oliveira, Janiffe Peres de Oliveira, Gottfried Schmitz, Luciene da Silva Alves, Simone de Alencar Maciel, Everson Scherwinski Jonny Pereira

Abstract


A banana é uma das frutas mais importantes e consumidas no mundo, apresentando grande relevância no que se refere à produção e a comercialização (Fioravanço, 2003). Para a maioria dos países, a banana é um alimento integrante na alimentação da população de baixa renda, além de ser um alimento com alto valor nutritivo (Moura et al., 2002). No Brasil, a bananicultura está entre os principais produtos agrícolas, destacando-se em segundo lugar entre as fruteiras na predileção dos consumidores (Bernardi et al., 2004).
De modo geral, a cultura da banana no País apresenta baixo rendimento, devido à maioria dos plantios utilizarem mudas convencionais, favorecendo a disseminação de doenças e pragas (Pereira et al., 2001).
O progresso da biotecnologia tem proporcionado a produção de mudas a partir de cultura de tecidos, também conhecida como cultivo in vitro ou micropropagação (Costa et al., 2007). O uso desta técnica possibilita muitas vantagens em relação à produção de mudas convencionais como: elevadas taxas de multiplicação do material, garantia genética e fitossanitária das mudas, reduzido espaço físico para a produção, além de constituir uma importante ferramenta para o melhoramento genético vegetal no sentido de acelerar a multiplicação e disponibilidade de novas cultivares comercialmente (Braga et al., 2001).
Dentre as fases da micropropagação, a aclimatização é uma das mais críticas, por ser um processo em que as plantas passam do ambiente controlado in vitro para um ambiente natural, podendo ocasionar a morte das plantas em razão da mudança abrupta do ambiente. Neste sentido, um eficiente enraizamento in vitro das mudas antes destas serem aclimatizadas, é condição fundamental para a redução destes possíveis problemas.
Rotineiramente, para a produção de mudas de bananeira em laboratório, é comum o uso do meio de MS (Murashige & Skoog, 1962), normalmente com a redução dos sais do meio de cultura. Outro fator importante, mas relativamente pouco estudado, refere-se a divisão ou não da brotação no momento da sua inoculação no meio de enraizamento, uma vez que na prática pode duplicar o número de mudas e, consequentemente, tornar mais eficiente o processo de produção de mudas micropropagadas.
O trabalho objetivou avaliar características nutricionais do meio de cultura e a influência da divisão longitudinal do explante no enraizamento de bananeira, cvs. Maravilha e Preciosa.


Keywords


Musa sp.; micropropagação; enraizamento; meio de cultura.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1568

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema