Efeito de diferentes concentrações de AIB na multiplicação in vitro de Hancornia speciosa Gomes.

Eduardo Bucsan Emrich, Renato Paiva, Fernanda Pereira Soares, Diogo Pedrosa Corrêa da Silva, Vanessa Cristina Stein, Milene Alves de Figueiredo

Abstract


A mangabeira (Hancornia speciosa Gomes), espécie arbórea nativa do Cerrado, apresenta um grande potencial como planta frutífera e na recuperação de áreas degradadas (Vieira Neto, 1994). 
O estabelecimento de plantios comerciais da espécie tem sido dificultado pelo curto período de armazenamento das sementes e pelo insucesso da sua propagação assexuada pelos métodos tradicionais.
Neste contexto, a micropropagação surge como uma alternativa a ser utilizada, com a finalidade de obtenção de um grande número de plantas uniformes, independente da época do ano (Borthakur, et al., 1999). 
Segundo Bonga (1985), por ser de manipulação relativamente fácil, principalmente devido ao tamanho do explante utilizado, e por originar plantas, em geral, geneticamente mais estáveis, a proliferação de gemas axilares é a técnica mais utilizada para a multiplicação in vitro de plantas lenhosas, como a mangabeira.
De acordo com Sano & Almeida (1998), observam-se diversos padrões de multiplicação, dependendo da espécie cultivada. Entretanto, quanto maior o número de brotos, menor será o seu comprimento. A vantagem de se obter brotos normais e alongados (maiores do que 1,5 cm) é que esses enraízam mais facilmente do que brotos curtos. 
O crescimento e a organogênese in vitro são altamente dependentes da interação entre as substâncias de crescimento que ocorrem naturalmente na planta (hormônios) e os análogos sintéticos (reguladores de crescimento), os quais são adicionados ao meio de cultura (George, 1996). 
Quoirin & Lepoivre (1977) constataram que, embora nem sempre as auxinas sejam necessárias no meio de multiplicação, essa classe de reguladores é usada com o intuito de estimular o crescimento das partes aéreas. De acordo com Lundergan & Janick (1979), a presença de uma auxina no meio de multiplicação anula o efeito inibitório das citocininas sobre o alongamento dos explantes. Dentre as auxinas mais usadas nos meios de multiplicação, destacam-se ANA (ácido naftalenoacético), AIB (ácido indolbutírico) e AIA (ácido indolacético).
O presente trabalho teve como objetivo o estudo do efeito de diferentes concentrações de AIB no processo de multiplicação in vitro de mangabeira.

Keywords


Hancornia speciosa; micropropagação; organogênese; auxinas



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1565

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema