Meios de cultura e reguladores de crescimento na micropropagação de amoreirapreta.

Márcia de Nazaré Oliveira Ribeiro, Fabíola Villa, Moacir Pasqual, Ximena Maira de Souza Vilela, Jean Carlos de Souza Santos, Andrieli Leão Pereira da Silva, Aline das Graças Souza

Abstract


Um dos fatores importantes para o sucesso do sistema de micropropagação é a conjugação de fatores nutritivos, ambientais e endógenos. No caso específico dos fatores ambientais, procura-se estudar os componentes do meio de cultura, como sais minerais, vitaminas, reguladores de crescimento, entre outros. Neste caso, diversas formulações de meios básicos têm sido utilizadas na micropropagação de frutíferas. Embora não exista uma formulação padrão, o meio MS, suas modificações e diluições tem apresentado resultados satisfatórios para diversas espécies (George & Sherrington, 1984).   
Entretanto, com espécies lenhosas, o meio MS não se mostrou satisfatório em alguns casos, observando-se que composições mais diluídas em macronutrientes tiveram melhor desempenho. Outras formulações como, por exemplo, o meio NN e Knudson, têm sido descritas e utilizadas como alternativas ao MS. 
O crescimento e morfogênese in vitro são fatores regulados pela interação e balanço dos fitoreguladores existentes no meio de cultura, principalmente auxinas e citocininas (George & Sherrington, 1984). As citocininas são utilizadas para quebrar a dominância apical dos brotos e aumentar a taxa de multiplicação. Deste modo, ocorre grande número de brotações por meio do crescimento de meristemas laterais (Hu & Wang, 1983). 
As auxinas, apesar de não promoverem a proliferação de brotações axilares, podem incrementar o crescimento da cultura (Hu & Wang, 1983). Uma das possíveis ações da auxina no meio seria a anulação do efeito supressivo das altas concentrações de citocinina sobre a elongação das brotações axilares, restaurando o crescimento normal das mesmas. Dentre os reguladores de crescimento comumente usadas no cultivo in vitro da amoreirapreta estão a 6-benzilaminopurina (BAP) e o ácido indolbutírico (AIB) (Donnelly et al., 1980). 
O presente trabalho objetivou avaliar o efeito das concentrações de ácido indolbutírico (AIB) e 6-benzilaminopurina (BAP) sob diversos meios de cultura na multiplicação in vitro de amoreira-preta cultivares Tupy e Brazos.

Keywords


Rubus sp., BAP, AIB.



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1555

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema