Calogênese em explantes de feijão caupi (Vigna unguiculata)

Darcilúcia Oliveira do Carmo, Fabíola Santana Rebouças, Elma dos Santos Souza, Maria Angélica Pereira de Carvalho Costa, Weliton Antonio Bastos de Almeida

Abstract


O feijão-caupi constitui a base alimentar para populações de baixa renda do
Nordeste brasileiro, devido a suas características apropriadas ao plantio, tais como ciclo curto, baixa exigência hídrica e rusticidade para se desenvolver em solos de baixa fertilidade (Embrapa, 2003). A micropropagação é a aplicação mais prática da cultura de tecidos e a de mais larga utilização, da qual pode-se originar um grande número de plantas sadias e geneticamente uniformes. Segundo Einset 1986, a regeneração a partir de calos e a multiplicação de brotos são duas estratégias que têm sido utilizadas para a micropropagação das espécies herbáceas. Contudo, a regeneração via calos, muitas vezes resulta em aparecimento de variação somaclonal, tornando essa estratégia questionável
para multiplicação clonal. Para a regeneração de plantas é fundamental encontrar tecidos na planta que ainda retenham a totipotencialidade celular. A capacidade de indução da desdiferenciação celular é uma das mais importantes características exploradas no cultivo in vitro das plantas, no entanto, para a utilização desta metodologia, faz-se necessário o prévio estabelecimento das condições necessárias para a regeneração de plantas via calos. Objetivou-se no presente trabalho induzir a formação de calos friáveis em segmentos de raízes de feijão-caupi (Vigna unguiculata), em diferentes concentrações de ANA (ácido
naftaleno acético) e AIB (ácido idolbutírico). 


Keywords


cultura de tecidos, calo, segmento radicular



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1512

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema