Estabelecimento in vitro de helicônia a partir de ápice floral

Arlena Maria Guimarães Gato, Paulo Hercílio Viegas Rodrigues, Flávio Freires Ferreira, José Augusto da Silva Cabral

Abstract


A floricultura tropical tem se destacado graças aos produtores de alguns estados do nordeste do Brasil como o Ceará, Pernambuco, Alagoas e Rio Grande do Norte. O ano de 2006 apresentou a retomada no ritmo das exportações na floricultura brasileira, com um dos destaques para o estado de Alagoas, responsável pelo crescimento de 163,38 % nos valores comercializados no mercado internacional sobre o mesmo período do ano anterior. Apesar disso, a produção de mudas de qualidade, das diferentes espécies de helicônias não tem acompanhado esse crescimento. Este fato deve-se, principalmente, pela dificuldade em estabelecer in vitro espécies de interesse econômico de helicônias. A existência de microorganismos endofíticos foi apontada como um dos causadores do insucesso no cultivo in vitro dessa cultura. Com o objetivo de avaliar outra fonte de explante, foram utilizados no presente ensaio ápices
florais de diferentes espécies de helicônias amazônicas. O ensaio contou com ápices florais em diferentes fases de desenvolvimento, sendo T1 fase de ponteiro, T2 ponteiro e duas brácteas abertas e T3 ponteiro e cinco brácteas abertas. Os ápice de diferentes espécies de helicônias foram inoculados em meio de cultivo MS com adição de vitamina de Morel e 0,1 mg L -1 de BAP. Após oito subcultivos, resultados promissores foram observados em H. rauliniana, H. rostrata e H. Eclipse Total, na fase T2 de desenvolvimento da haste.


Keywords


Micropropagação, cultura de tecido, produção de mudas, floricultura tropical



DOI: https://doi.org/10.14295/oh.v13i0.1408

ISSN: 2447-536X

 Creative Commons License

This work is licensed under a Creative Commons Attribution 4.0 International License.

SBFPO - Sociedade Brasileira de Floricultura e Plantas Ornamentais | Cadastre-se na revista | Página Oficial SEER | Ajuda do sistema